A história do audiovisual brasileiro – Parte 1

Oi, como vocês estão?

Eu sou uma pessoa que gosta muito de estudar as coisas que aconteceram para tentar entender o que está acontecendo hoje, e claro, vim dividir com vocês todas essas novas descobertas, hoje nós vamos voltar alguns anos e conhecer um pouco da  história do audiovisual aqui no Brasil.

Vai ser um resumo para que vocês entendam o cenário geral, e nas próximas semanas abordaremos as regiões desse Brasilzão.

Afonso Segredo – Diretor da “Vista de Guanabara”

O dia do cinema brasileiro é comemorado oficialmente no dia 19 de Junho, segundo pesquisas, essa seria a data que o imigrante italiano Afonso Segredo, registrou as primeiras imagens em território nacional, a bordo de um navio, filmando a Baía de Guanabara no Rio de Janeiro. 

Mas não se sabe se esse filme realmente existiu, ou se foi exibido em algum lugar, então, temos a data do cinema brasileiro baseada em um filme que não temos comprovações históricas se existiu ou se foi assistido pela população.

Bom dito isso vamos começar a pensar nas primeiras décadas do cinema no país, assim como no restante do mundo as primeiras exibições de filmes aqui foram em cafés, teatros e salas improvisadas.

O cinema teve seu início no Brasil em 1896, no Rio de Janeiro, quando foram exibidos uma série de filmes curtos retratando o cotidiano nas cidades europeias. A partir disso São Paulo e Rio se tornaram os principais polos do mercado exibidor, coisa que seguem sendo até hoje. 

Nos anos 1910 e 20 nós ja tinhamos grandes salas de cinema instaladas e o cinema fazia parte da vida social da população. Neste período nós também ja tinhamos muitas revistas falando sobre os filmes e apresentando os atores, principalmente os de Hollywood que era o cinema dominante na época. Nos anos 20 nós também temos um importante acontecimento chamado de ciclos regionais filmes de ficcção foram produzidos em várias cidades do País, como Porto Alegre, Fortaleza e Catagoases.

O ciclo de Catagoases foi muito importante para a história do nosso cinema, pois apresentou um dos mais importantes cineastas brasileiros, Humberto Mauro, ele dirigiu fillmes muitos importantes nesse período, entre eles, Braza Dormida em 1928 e Sangue Mineiro em 1930.

Muito dos filmes que foram produzidos naquelas épocas foram perdidos, segundo a Cinemateca – que é o órgão que preserva os arquivos tanto do cinema tanto da tv brasileira – só temos cerca de 6% dos filmes mudos salvos.


Com o passar do tempo as produções começaram a incorporar influências do contexto social, econômico, cultural e político do país. Como nós podemos ver em Tropa de Elite, e Cidade dos Deus. Mas mesmo com produções que tenham alcançado prêmios internacionais, o nosso mercado ainda é fortemente influenciado por filmes estrangeiros.

A indústria audiovisual brasileira vem ano após ano, se tornando cada vez mais independente nesse aspecto, e conseguindo excelentes resultados.

Esse artigo vai ser dividido em 4 partes, te espero semana que vem para descobrimos um pouco mais do nosso cinema!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: